O Cérebro Chamado Coração - Carlos Veiga JR.
1049
post-template-default,single,single-post,postid-1049,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,columns-4,qode-theme-ver-13.9,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive
cerebro chamado coração

O Cérebro Chamado Coração

Descobriu-se que o coração contém um sistema nervoso independente e bem desenvolvido com mais de 40 mil neurônios e uma completa e espessa rede de neurotransmissores, proteínas e células de apoio. Ele é inteligente.

Graças a esses circuitos tão elaborados, parece que o coração pode tomar decisões e passar à ação independentemente do cérebro; e que pode aprender, recordar e, inclusive, perceber.

Existem quatro tipos de conexões que partem do cérebro do coração e vão para o cérebro “da cabeça”.

1. A comunicação neurológica mediante a transmissão de impulsos nervosos

O coração envia mais informação ao cérebro do que recebe, é o único órgão do corpo com essa propriedade e pode inibir ou ativar determinadas partes do cérebro segundo as circunstâncias.
Significa que o coração pode influenciar a nossa maneira de pensar e influenciar a forma como percebemos a realidade, portanto, nossas reações.

2. A informação bioquímica mediante hormônios e neurotransmissores

É o coração que produz o hormônio ANF, aquele que assegura o equilíbrio geral do corpo: a homeostase.
Um dos efeitos é inibir a produção do hormônio do estresse e produzir e liberar a oxitocina, que é conhecida como o hormônio do amor.

3. A comunicação biofísica mediante ondas de informação quânticas.

Através do ritmo cardíaco e suas variações, o coração envia mensagens ao cérebro e ao resto do corpo.

4. A comunicação energética

O campo eletromagnético do coração é 5 mil vezes mais intenso que o campo eletromagnético do cérebro, e tem-se observado que muda em função do estado emocional.

Quando temos medo, frustração ou estresse o campo eletromagnético se torna caótico.

Ao passo que se organiza quando a emoção é elevada (alegria) e as intenções são claras (primeiras intenções).

Sabemos que o campo magnético do coração se estende ao redor do corpo em ondas circunferenciais como “bolhas” que medem entre dois e quatro metros de raio, ou seja, todos que estão ao nosso redor recebem a informação energética contida em nosso coração.

A que conclusões nos levam estas descobertas?

O circuito do cérebro do coração é o primeiro a tratar a informação que depois passa para o cérebro da cabeça.
Não será este novo circuito um passo a mais na evolução humana?

Há duas classes de variação da frequência cardíaca: uma é harmoniosa, de ondas amplas e regulares e toma essa forma quando a pessoa está em coerência emocional entre o que sente, pensa, fala e age.

A outra é desordenada, com ondas incoerentes e aparece quando experimentamos sentimentos de má qualidade, além das emoções raiva, nojo, tristeza e medo. As ondas cerebrais se sincronizam com estas variações do ritmo cardíaco.

A interpretação que o coração faz do amor não é uma emoção, é um estado de consciência inteligente.

O cérebro do coração ativa no cérebro da cabeça centros superiores de percepção completamente novos que interpretam a realidade sem se apoiar em experiências passadas.

Este novo circuito não passa pelas velhas memórias, seu conhecimento é imediato, instantâneo e, por isso, tem uma percepção exata da realidade, está constantemente ligado ao aqui-agora, diferente da mente racional que se apoia nas recordações para trazer angústia e ansiedade, dor e sofrimento ao presente.

Está demonstrado que quando o ser humano foca sua atenção aos pensamentos e atitudes que partem do coração ele cria um estado de coerência biológica, tudo se harmoniza e funciona corretamente, é uma inteligência superior que se ativa através da frequência do amor.

Este é um potencial não ativado na grande maioria das pessoas.
E como posso ativar esse circuito?

Cultivando as qualidades do coração: a abertura para o próximo, o escutar, a paciência, a cooperação, a aceitação das diferenças, a coragem, o não julgamento, e a própria impecabilidade que vem quando somos capazes de ver a impecabilidade em todos os nossos irmãos humanos, sem exceção.

É a prática do perdão genuíno que elimina a culpa do indivíduo, e do campo quântico de informações.
Em essência é compreender a Consciência de Unidade que vem a ser o reconhecimento de que o acaso não existe, tudo está perfeitamente organizado por uma inteligência Superior, e que a separação que experimentamos é apenas aparente, toda experiência humana se passa na consciência e não em um mundo físico.

O processo de eliminar a culpa é facilitado quando decidimos assumir a posição de observadores conscientes, um “eu observador” que está vigilante e atento a um “eu confuso” criando um espaço de tempo entre os impulsos primitivos (reações) e a ação decorrente deles, sempre observando os pensamentos e emoções sem julgamentos ou posicionamentos, desde uma posição de neutralidade.
Podemos aprender a confiar na intuição e a reconhecer que a verdadeira origem de nossas reações emocionais não está no que ocorre no exterior, e sim na nossa programação familiar.

 

Participe do Treinamento A NOVA MEDICINA
100% Gratuito e Online
Você aprenderá os segredos mais bem guardados entre a espiritualidade, a cura e a prevenção das doenças físicas e emocionais.
CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA SE INSCREVER ⬇

https://treinamentoanovamedicina.com.br/inscricao?utm_search=blog

Sem Comentários

Postar Comentário

Se inscreva gratuitamente no meu treinamento
A NOVA MEDICINA