Física Quântica: o encontro da espiritualidade com a ciência - Carlos Veiga JR.
1317
post-template-default,single,single-post,postid-1317,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,columns-4,qode-theme-ver-13.9,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive
física quântica e espiritualidade

Física Quântica: o encontro da espiritualidade com a ciência

A mecânica ou física quântica tem um sucesso admirável, nem uma única previsão da teoria jamais esteve errada. Um terço da economia mundial depende de produtos baseados nela, e é justamente ela que nos afirma que a realidade física é criada pelo ato da observação, e sem ele, tudo não passa de um campo de interferência de ondas de energia.

Visto da perspectiva humana, a mecânica quântica é a física encontrando a espiritualidade e nos forçando a recuperar o conceito e compreensão daquilo que entendemos como sendo a “realidade material” ao afirmar que o vácuo está fervilhando de atividade.

Segundo Einstein, se você levasse a teoria quântica a sério, negaria a existência de um mundo físico real independente da sua observação. Essa é uma acusação séria.  Vamos olhar com mais detalhes.

O que é física quântica?

A teoria quântica não é simplesmente uma entre muitas teorias na física. É o arcabouço sobre o qual toda a física em última análise se assenta nos dias de hoje.

A “dualidade onda-partícula” é um paradoxo que muitos ainda se negam a aceitar mesmo entre os físicos, porque leva implícito o conceito abstrato de Consciência, ou seja, alinha a ciência com a espiritualidade, coisas que foram separadas desde Descartes.

Quando está sendo observado, um átomo é um objeto compacto, concentrado em um único lugar.

No entanto, quando não está sendo observado, o que se pode demonstrar é exatamente o contrário, que o átomo não é um objeto compacto, e sim uma onda de probabilidades, energia em seu estado puro.

Entretanto, a visão de mundo exigida pela física quântica é a visão da espiritualidade que está no mundo desde que os primeiros humanos por aqui apareceram, as verdades ancestrais que estão em livros sagrados como a Cabala, o I Ching, Os Vedas,  Tao Te Ching, e muitos outros e, também em tradições orais dos povos primitivos, mitologia e filosofia, psicologia etc.

Ou seja, a espiritualidade chegou ao mundo antes da ciência e agora estes dois caminhos voltam a se cruzar, porque  nunca estiveram de fato separados.

O papel da física quântica no nosso dia a dia

A física quântica está na base de toda ciência natural, desde a química até a cosmologia. Precisamos dela para entender por que o Sol brilha, como televisores produzem imagens, por que a grama é verde, sensores de todos os tipos, etc.

A tecnologia moderna baseia-se em dispositivos projetados com a teoria quântica, porém, ela é mais estranha do que poderíamos supor. Vamos ver por quê.

A maioria de nós compartilha certas intuições do senso comum. Um único objeto não pode estar ao mesmo tempo em dois lugares e, seguramente, o que alguém decide fazer aqui não pode afetar instantaneamente o que acontece em algum lugar distante.

Além disso, será que é preciso dizer que existe um mundo real “lá fora”, quer olhemos para ele ou não?

A mecânica quântica desafia cada uma dessas intuições, trazendo de volta o entendimento de que somos Seres Conscientes e sem forma, observando desde fora este universo holográfico, “materializando” um tipo de experiência.

Tudo absolutamente perfeito e orquestrado pela Mente Criadora, o nada que permite o tudo, a Fonte de Tudo Que Há.

A “mecânica clássica” ou “física clássica”, às vezes chamada de “física newtoniana”, geralmente é uma excelente aproximação para objetos muito maiores que moléculas, mas é apenas uma aproximação, não funciona para os átomos dos quais tudo é feito. No entanto, sabemos agora, que essa visão de mundo clássica é fundamentalmente falha.

Desde tempos antigos os filósofos apresentaram especulações esotéricas sobre a natureza da realidade física.

Antes da mecânica quântica as pessoas tinham a opção lógica de rejeitar tais teorias e ater-se a uma visão de dual e cartesiana do mundo. Hoje, porém, à luz dos fatos demonstrados em experimentos quânticos, a visão newtoniana de pessoas e objetos separados criando espaços, já não é mais uma opção lógica.

Pode uma visão de mundo sugerida pela mecânica quântica ter uma relevância que vá além da ciência, interpondo-se com o mais profundo de cada um de nós, a espiritualidade?

Teoria quântica e a espiritualidade

A física quântica trata do aqui e agora e encontra-se com a essência da humanidade, a consciência. Por que, então, a teoria quântica não tem o impacto intelectual e social que poderia ter?

Tente resumir as implicações da teoria quântica, e o que você obtém soará místico.

Por exemplo: que um objeto pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. Sua existência num lugar determinado  torna-se realidade apenas quando observado. A teoria quântica nega a existência de um mundo fisicamente real independente da sua observação.

Estranhos fenômenos quânticos podem ser demonstrados diretamente apenas para objetos pequenos. A física clássica descreve o comportamento razoável de coisas grandes com uma aproximação extremamente boa.

Mas as coisas grandes são compostas de coisas pequenas. Como visão de mundo, a física clássica simplesmente não funciona. A física clássica explica o mundo bastante bem; é apenas com os “detalhes” que ela não consegue lidar.

A física quântica lida com os “detalhes” perfeitamente; é só o mundo que ela não consegue explicar.

Dá para entender por que Einstein estava perturbado com as descobertas do mundo quântico, um mundo distante da lógica humana, a dualidade/separação; mas muito próximo da lógica divina, a unidade inseparável de tudo que existe.

Sem Comentários

Postar Comentário