Enxaqueca: a dor de cabeça causada por querer controlar tudo - Carlos Veiga JR.
317
post-template-default,single,single-post,postid-317,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,columns-4,qode-theme-ver-13.9,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive
dor de cabeça

Enxaqueca: a dor de cabeça causada por querer controlar tudo

Enxaqueca e o Gerenciamento BioEmocional

A enxaqueca é uma forte dor de cabeça que pode estar acompanhada de náuseas, vômitos, sensibilidade à luz e ao ruído. Afeta mais a mulheres do que aos homens.

Pode aparecer por diversas causas físicas diversas como álcool, abstinência à cafeína, intervalos grandes entre as refeições, odores intensos, exercício extremo, chocolate, queijo, alguns legumes, vinho, bananas, cítricos, tensão pré menstrual, jejum prolongado, insatisfação sexual (falta de orgasmos), entre outras.

Mas, também pode origem emocional como resistência frente ao fluir da vida, auto-crítica, invalidação de si mesmo, medo relacionado ao sexo, etc.

O sentido biológico é permitir um maior fluxo sanguíneo ao cérebro (vasodilatação arterial), provocando um aumento da pressão intracraniana localizada. Esta é a solução que a natureza aprendeu para levar mais nutrientes ao comando do sistema nervoso.

Do ponto de vista do Gerenciamento BioEmocional, trata-se de um conflito dos indivíduos que são excessivamente controladores e que estão sempre buscando encontrar uma solução mental para todas as coisas. Pessoas que costumam sempre pensar:

“Devo encontrar uma solução com meus pensamentos”

Podem ser pessoas por demais perfeccionistas, que impõem a si mesmas uma pressão excessiva, acompanhada de muita raiva contida e não expressada. Também podem ser aqueles que não suportam ser conduzidos por outros.

Quando falamos de buscar solução, estamos nos referindo a busca por soluções mentais e não práticas. É como se pudéssemos solucionar um determinado problema pensando repetidas vezes e insistindo no raciocínio. Temos a sensação de que racionalizando encontraremos uma forma de nos livrar de algo que nos incomoda.

Esta maneira de tentar resolver as questões diárias implica em uma profunda desvalorização intelectual porque o indivíduo não se sente capaz de passar à ação por mais que se esforce, mesmo pensando que encontrou a melhor saída para seu drama. A desvalorização é o sintoma “colateral” do imobilismo na hora de agir.

Quando a enxaqueca ocorre nos fins de semana o sentimento é: “Não tenho direito a felicidade”.

Quando ocorre no período pré-menstrual: “Não me sinto a altura”, “Não sou capaz”, “Tenho medo de engravidar”, “Tenho muitas coisas para fazer”, “Devo ser muito competente no que faço”.

Pensamentos de desvalorização intelectual estão presentes como: “Não raciocino bem”, “Meus pensamentos não são suficientemente claros para encontrar a solução”, “Meu cérebro está saturado”.

Por vezes está relacionada a um conflito de não poder superar ao nosso pai, por comparação, dúvidas, separação, abandono, etc.

Uma dor sempre é indicativo de que algo não está funcionando corretamente em nosso organismo. Algumas vezes, a causa pode ser um transtorno ou conflito emocional não resolvido. Por isso, devemos prestar atenção aos sinais e sintomas que a biologia (inconsciente biológico) nos envia e as emoções derivadas de pensamentos e crenças limitantes.

Já encontramos casos de enxaqueca até por ódio a imigrantes (racismo). Sempre com a conotação de que o indivíduo tem que encontrar uma solução mental/intelectual.

Outras vezes a enxaqueca é causada por retenção de líquidos, provocando aumento do volume de sangue circulante, relacionada a sentimentos de estar só ou abandonado (conflito do refugiado).

Ela pode surgir em diferentes partes da cabeça e, de acordo com o local, possui diferentes conotações. Em termos genéricos:

Zona temporal: desvalorização intelectual em relação ao território. Lembrando que nós mamíferos somos extremamente territoriais. Também em relação ao clima e ao futuro;

Zona frontal: desvalorização por algo mental, porém concreto e material;

Zona alta da cabeça: desvalorização por algo mental de nível superior, não material, abstrato, e que necessita de um maior nível de avaliação;

Zona occiptal: desvalorização intelectual em relação ao passado e a morte. Não ser capaz de encontrar uma solução ao que se passou.

Devemos prestar atenção aos sintomas que acompanham a enxaqueca para saber que direção nos aponta.

Por exemplo: se afeta a visão, significa algo que não quero ver; se afeta o ouvido, algo que não quero ouvir.

É importante recuperar os pensamentos que precedem o aparecimento dos primeiros sintomas e por qual área da cabeça eles começam. Observar principalmente as circunstâncias de solução do conflito, já que a enxaqueca, na maioria das vezes, ocorre na fase de solução do estresse emocional.

Em outras palavras: observar qual estresse foi solucionado antes do aparecimento da dor.

OBS: O Gerenciamento BioEmocional é um método que investiga as origens emocionais dos conflitos que experimentamos durante a vida, sejam eles manifestados através de sintomas físicos ou não. Não encorajamos nenhuma pessoa a desistir de orientações ou tratamentos médicos.

9 Comentários
  • Elisa
    Postado às 06:35h, 13 outubro Responder

    Muito obrigada, dificilmente tenho enxaqueca. Entendi porque aconteceu algumas vezes, muito interessante e esclarecedor!!

    • Carlos Veiga Jr.
      Postado às 17:03h, 03 setembro Responder

      Olá Elisa. Fico feliz que o texto tenha te ajudado 🙂

  • Nilcéia
    Postado às 20:07h, 01 setembro Responder

    Muito bom, e bem explicado👍

    • Carlos Veiga Jr.
      Postado às 16:40h, 03 setembro Responder

      Olá Nilcéia. Fico muito feliz que tenha gostado 🙂

  • Rosani Araújo
    Postado às 19:54h, 03 setembro Responder

    Muito bom o texto! Tenho crises horríveis de enxaqueca!! Tudo relacionado ao meu estado emocional e minha história.

  • Maria da Conceição Tavares
    Postado às 10:33h, 04 setembro Responder

    Sofro demais com enxaqueca! Fico me sentindo doente mesmo por uns três dias. Isso me desanima muito, me deixa super triste. Gostei das informações do texto e vou ser mais criteriosa em minhas observações.

  • Cristiane Da Silva
    Postado às 14:09h, 04 setembro Responder

    Eu faiz um ano que começo uma dor de cabeça a neurologista disse que é uma enxaqueca não controlável a minha última consulta ele me deu alta e disse que d da ansiedade mais na verdade não sei o porque dessa dor

  • Maria Edma
    Postado às 21:02h, 05 setembro Responder

    Eu tenho muita crise de enchaqueca fico com muita vontade de chorar e ficar sozinha quando estou em crise e elas sempre começam com um peso enorme na cabeça e fico bocejando logo em seguida começa a dor

    • Carlos Veiga Jr
      Postado às 18:18h, 14 novembro Responder

      Olá Maria, as informações deste texto podem te ajudar a mudar sua percepção em relação ao ambiente que te rodeia. Mudando sua percepção vc permitirá novas interpretações que lhe permitirão outras emoções e seu corpo reagirá de outra forma. Grato pelo comentário.

Postar Comentário