Conheça seu Inconsciente: o Gigante Adormecido que Comanda sua Vida - Carlos Veiga JR.
1005
post-template-default,single,single-post,postid-1005,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,columns-4,qode-theme-ver-13.9,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive
Inconsciente

Conheça seu Inconsciente: o Gigante Adormecido que Comanda sua Vida

Conheça o seu Inconsciente: o Gigante Escondido que Comanda sua Vida

Temos falado muitas vezes sobre a psiquê humana, como ela se divide e como funciona. Freud e Jung nos mostraram que a mente tem uma parte consciente, uma parte sub consciente e uma parte inconsciente. Para facilitar, aqui chamaremos apenas de consciente e inconsciente.

A parte consciente é como se fosse uma pequena ilha, é a parte visível, e o inconsciente é o gigante escondido que comanda nossa vida, uma parte da nossa mente que desconhecemos mas que nem por isso deixa de estar no comando das nossas decisões e dos nossos processos orgânicos determinando a forma como perceberemos o mundo, condicionando as interpretações que faremos a partir destas percepções.

Inconsciente: O Gigante Submerso

Este gigante também está no controle dos nossos pensamentos, dos sentimentos que vamos experimentar, das emoções que vamos sentir, das condutas que vamos tomar, e principalmente dos sintomas que aparecerão no nosso corpo.

Dito de outra forma, esta parte submersa e desconhecida da mente definitivamente determina como será nossa vida sem que tenhamos nenhum controle sobre isso, a menos que comecemos a nos dedicar a conhecê-la e prestar atenção ao seu modo de operar, para isso precisamos saber de algumas particularidades de seu funcionamento.

A primeira coisa que precisamos saber é que o inconsciente tem 4 características básicas e muito especiais: É inocente, atemporal, não conhece o outro e não conhece ilusão. Vamos ver mais de perto o que quer dizer cada uma destas 4 características.

Inocente significa que não julga, apenas dá a solução que aprendeu ao longo de milhões de anos de evolução e o faz de maneira muito rápida, sutil e com muita precisão.

Atemporal, significa que para o inconsciente o tempo não passa, tudo que aconteceu, está acontecendo neste momento, as informações não podem se perder. Se isto não fosse assim, o inconsciente não poderia nos defender, perderia sua função.

Além disso, o tempo linear como o conhecemos, é uma invenção da mente consciente, um truque para criar referências. Está demonstrado cientificamente que o tempo é relativo e holográfico, ele não existe como o definimos em passado, presente e futuro, todos os tempos são um único tempo.

Não conhece o outro. Significa que esta parte da mente só sabe de si mesma, reconhece o que chamamos de “outro” apenas como uma projeção, em um efeito chamado de espelho.

Este é o principal recurso que podemos usar para reconhecer o que se esconde em seu banco de dados, por exemplo tudo que foi reprimido por força das crenças familiares e da sociedade que de alguma forma acaba se expressando em forma de projeção exterior.

Não conhece ilusão. Esta característica é de extrema importância já que define qualquer coisa que passe pela mente como real e acima de qualquer suspeita.

Imagine o que isto pode representar quando pensamos em termos simbólicos, ou de realidade virtual. Se uma pessoa acha, acredita ou imagina que seu marido ou sua mulher está lhe traindo, o inconsciente passa a agir como se isto fosse real e encaminha as soluções sem questionar.

Se imaginamos que um filho está correndo perigo, passamos a sofrer fisicamente as consequências deste pensamento, porque o inconsciente como sabemos não tem a capacidade de julgar se é algo real ou simplesmente psicológico.

O genial Carl G. Jung nos chamava a atenção para esta parte da mente dizendo que enquanto seu funcionamento e as informações ali guardadas não fossem reconhecidas, este inconsciente iria seguir controlando nossas vidas e nós chamaríamos a isso de destino.

Jung estava sinalizando para que fossemos capazes de reconhecer o que se esconde nos porões da mente, trazendo à luz informações de dor e sofrimento das gerações que nos antecederam, da vida intra uterina, e de tudo que vivenciamos como traumático em algum momento.

As projeções da mente criam sua realidade

Boa parte destes dramas foram experimentados em idades muito precoces e também na adolescência, além obviamente das experiências dramáticas que vivemos como adultos.

Neste sentido, trazer à luz significa trazer do inconsciente para o consciente as informações que devem ser transformadas.

Este processo de trazer à luz nos dá a oportunidade de reescrever nossa história, interpretando os fatos anteriores através de uma nova forma de perceber nosso entorno, eliminando as informações de culpa, a isto chamamos de transcender.

Para que isto ocorra lançamos mão de um recurso fabuloso que são as projeções. Isto que chamamos de realidade externa se compõe de projeções que surgem a partir da mente inconsciente em um ambiente que muitos conhecem como efeito espelho. Mas o que quer dizer efeito espelho?

Quer dizer que todas as pessoas que vemos são projeções da nossa mente inconsciente, elas não existem no mundo como pensamos que existem. Estas interpretações particulares que cada um faz dos demais não são compartilhadas com nenhuma outra pessoa.

Interpretamos corpos físicos desde uma perspectiva individual, única e exclusiva, a mulher com quem eu me casei, só eu conheço, ninguém mais, sua mãe a vê de outra forma, seu pai a interpreta diferente de mim e de sua mãe, suas amigas nunca irão concordar em 100% de como seja ela, seus irmãos tampouco.

Se eu contratasse um detetive para encontrar a mulher com quem eu me casei, buscando-a no mundo a partir das minhas coordenadas, ele jamais a encontraria, porque só eu a conheço da forma como conheço.

Podemos dizer que cada pessoa que conhecemos é um ego que criamos com nosso ponto de vista, este ego só existe na mente daquele que o criou que vem a ser um observador diferente de todos os outros observadores.

Uma determinada pessoa que conhecemos, só nós conhecemos, as opiniões a respeito desta pessoa podem ser muito parecidas, quase iguais, mas evidentemente jamais serão idênticas, porque tudo que vemos, ouvimos, tocamos, sentimos e cheiramos não está acontecendo fora de nós, muito pelo contrário, estamos interpretando com nossos filtros de crenças e definições, com nossos próprios sentidos.

Parece estranho que isto seja assim, de fato parece até contra intuitivo imaginar que um mundo de formas tão evidente, tão sólido, colorido e sedutor não seja real, mas não é.

Alguns poderiam se questionar, duvidar e até se opor veementemente a estas afirmações, mas é inútil, o mundo material só existe quando está sendo observado, caso não haja uma consciência observadora, o mundo é apenas um imenso campo de interferência de ondas. Sinto muito!

No entanto, seria justo pensar que isto não faz nenhum sentido, afinal para que tudo isso? Qual é a finalidade deste efeito espelho, para que estamos inventando tudo isso? Que tipo de jogo é esse? E por quê estamos sofrendo tanto se somos nós mesmos os inventores do jogo e ao mesmo tempo os jogadores? Por quê estamos destruindo o mundo e procurando a tal felicidade por milênios sem encontrá-la?

O que está escondido no seu Inconsciente?

Para tentar encontrar as respostas a estas e outras perguntas a humanidade se debruçou por séculos em muita pesquisa e trabalhos científicos, até que no começo do século passado surge a ciência que chamamos de mecânica quântica demonstrando o que muitas culturas que nos antecederam já haviam dito milênios antes.

Isto nos deu uma base muito sólida que se ajustou perfeitamente com as informações que já existiam. Ciência e espiritualidade nunca haviam estado separadas, apenas pensava-se que estavam, aliás poderíamos até dizer que espiritualidade sem ciência é fanatismo, e ciência sem espiritualidade é crueldade.

Jung nos dizia que nenhuma criança nasce neste planeta como uma folha em branco, isto seria uma perda de tempo, um equívoco da inteligência universal, porque cada novo ser humano teria que começar do zero, e isto não parece ser muito útil ou proveitoso, além de não ser de fato muito inteligente.

Então já começamos a encontrar uma boa razão para que as coisas sejam exatamente como são.

Quando nascemos trazemos muita informação das gerações que nos antecederam, informações de boa qualidade que nos permitem ser muito bem-sucedidos e também informações de má qualidade baseadas em principalmente em culpa, que nos fazem sofrer e adoecer.

Neste sentido já começa a parecer lógico que uma parte da nossa mente, justamente a parte que contém quase toda informação se projete fora de alguma maneira criando esta ilusão de realidade externa para que possamos solucionar dores e sofrimentos, nossos e da nossa família internamente, sem necessitar mudar o que está fora, porque fora não há nada além de projeções inconscientes.

Na prática estamos percebendo sinais externos e interpretando com nosso aparato sensor composto basicamente do cérebro e do coração, ainda que de forma quântica todas as células do nosso corpo se comuniquem em tempo integral para saber o que se passa com todas elas. Poderíamos dizer que o corpo todo é um aparato sensor.

O mais curioso disso tudo é que as coisas que percebemos conscientemente estão sempre atrasadas em relação ao que nossa mente inconsciente percebe, e isto é assim porque este gigante submerso é o responsável pela manutenção da vida e não pode esperar interpretações para tomar as decisões que nos manterão vivos. Sabemos muito pouco ou quase nada desta parte da mente, o que vemos é apenas uma pequena ilha e imaginamos que isto é tudo, pura ilusão.

Esta parte submersa da mente é a responsável pela nossa respiração, digestão, batimentos cardíacos e todos os processos biológicos sem que nós tenhamos nenhum controle sobre isso, de fato se dependesse dessa parte aparente da mente para que tudo no nosso corpo funcionasse perfeitamente como funciona, não haveria mais nenhum ser humano na Terra.

Quando tomamos consciência destas coisas passamos a prestar muito mais atenção ao que está sendo projetado externamente nesta imensa sala de espelhos que chamamos de mundo externo, afinal esta é a melhor forma de conhecer o que se esconde debaixo da pequena ilha de percepção.

Descubra os segredos do seu Inconsciente

Nosso inconsciente guarda segredos que estão controlando nossas vidas e quanto antes treinarmos nosso consciente para reconhecê-los mais cedo assumiremos o comando da realidade física, passando de ser carona à condutores 100% responsáveis pelo que estamos projetando fora, transformando as experiências de julgamento em experiências de aprendizado, evolução e elevação do nível de consciência.

Quanto mais formos capazes de observar nossas projeções externas como sendo a nossa vontade inconsciente de resolver as nossas questões mais profundas e do nosso clã familiar, mais chances teremos de viver uma vida saudável e alegre.

Todos os nossos irmãos de jornada são espíritos impecáveis que seguram as molduras dos espelhos para que possamos saber mais de nós mesmos, e seria impossível sem eles.

Se fizermos uma conta rápida e voltarmos 10 gerações encontraremos 4096 pessoas que se juntaram para que cada um de nós esteja aqui hoje. Em 4096 pessoas há de tudo, desde o melhor dos seres humanos até o pior deles.

Tudo isso será projetado “fora” com o objetivo de transformar as informações distorcidas que nossos antepassados não souberam ou não puderam transformar.

Estamos abrirmos nossa perspectiva para ir mais além das nossas próprias definições a nosso respeito, a respeito dos demais, do mundo que nos rodeia e de como interpretar sem dramas e conflitos as informações, abrindo os arquivos secretos que dormem sob a pequena ilha, aguardando para despertar dentro do sonho sem deixar de sonhar.

Bons sonhos!

Sem Comentários

Postar Comentário