Como blindar seu Sistema Imunológico contra os sintomas físicos - Carlos Veiga JR.
1370
post-template-default,single,single-post,postid-1370,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,columns-4,qode-theme-ver-13.9,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive
sistema imunológico

Como blindar seu Sistema Imunológico contra os sintomas físicos

Como as pessoas podem desenvolver um terreno fértil para para que o sistema imunológico possa atuar na contrapartida das enfermidades e como as pessoas podem desenvolver um terreno minado onde o sistema imunológico não vai prosperar.

Não é necessário que a pessoa esteja doente para desenvolver um sistema imunológico precário, ou seja, um sistema que está corrompido por questões territoriais e é o que vamos falar nesse artigo.

Sistema Imunológico e as ameaças internas e externas

Antes de começar, eu quero ressaltar que Gerenciamento Bioemocional não é terapia alternativa, na verdade, nem sequer é terapia.

O Gerenciamento Bioemocional é um método humanista que ajuda a identificar a origem emocional dos conflitos, sejam eles sintomas físicos ou conflitos de ordem pessoal.

Nosso conteúdo é um treinamento de desenvolvimento pessoal e aprimoramento de relações humanas e por relações humanas entendemos que as relações de má qualidade acabam com a saúde das pessoas.

É interessante notar que se, por um lado estamos muito conectados com nosso ambiente interno, nossas emoções, ou, pelo menos, deveríamos estar, também estamos muito conectados com o ambiente externo.

E muito vulneráveis a ele, ao que vem de fora.

Mas, o ambiente interno está conectado com o ambiente externo, pois o mesmo campo que vem de fora também está consciente do que eu estou pensando e sentindo.

E o que eu estou pensando? Que sementes estou plantando no solo fértil da minha mente?

Quando algo não sai do jeito que eu gostaria que saísse, o que eu faço? Busco um culpado.

E quando faço isso, eu gero um pensamento de ataque. Esse campo fértil não julga, ele simplesmente faz crescer a semente, danificando nosso território interno.

Como? Com críticas, fofocas e julgamentos.

Dessa maneira, meu território interno, que não conhece o território externo, vai ser contaminado com meu próprio pensamento, um pensamento que sou eu que estou escolhendo.

Ninguém está me ameaçando externamente com uma faca ou revólver dizendo que eu tenho que me sentir mal, ninguém está mandando me sentir mal pelo que ocorre no ambiente externo.

Por exemplo, meu marido não fez o que eu gostaria e eu estou me sentindo mal.

Estou assim porque fiz um julgamento, porque não é possível que alguém se sinta mal sem ter feito um julgamento.

E este julgamento está plantando uma semente que vai germinar no território interno colocando em risco meu equilíbrio.

Estamos acostumados com as ameaças externas que sofremos, mas não assumimos a responsabilidade pelo dano causado pelo nosso próprio pensamento, um pensamento de ataque, um pensamento violento, agressivo, maldoso, um pensamento de vingança.

Observe quantas vezes na nossa vida nós dissemos “bem feito”. Observe esse pensamento carregado de vingança que você pode enviar.

Pare por um momento, agora, e pense em quantos pensamentos de ataque você disparou hoje, quantas sementes violentas você plantou no seu solo fértil apenas hoje.

Imagine o efeito que isso tem ao longo de uma semana, um mês, uma década, uma vida?

Nossas células estão sendo controladas pelo nosso inconsciente biológico e ele sabe que o território externo é igual ao território interno.

Então, quantos pensamentos de ataque o meu campo consciente reconheceu hoje? Quantos pensamentos de críticas em relação aos meus familiares eu já fiz hoje? Quantas reclamações eu fiz do meu marido, do meu filho, do meu pai?

Observe quantas sementes de má qualidade estou plantando.

O que acontece é que eu reconheço facilmente quando a ameaça é externa, mas não é fácil reconhecer que eu estou sendo ameaçado pelos meus pensamentos.

Até porque eu penso que os meus pensamentos de ataque não são contra mim e sim que atacando o outro.

Mas o campo que está consciente do pensamento de ataque é o meu, então não importa a quem eu estou atacando, até porque o nosso inconsciente biológico nem reconhece o lado de fora.

O campo consciente está consciente apenas de uma semente de má qualidade que eu estou plantando no solo fértil da minha mente e que eu vou regar com sentimentos emoções.

Inclusive, quando eu penso que posso ser atacado por algo ou alguém do território externo, mesmo que essa ameaça não seja real, essa ameaça psicológica ocorre no meu território interno.

Para que o Inconsciente cria o sintoma físico

O problema é que o nosso inconsciente biológico não faz nenhuma distinção entre a ameaça externa e ameaça interna.

O que o inconsciente biológico faz é encaminhar uma solução.

Se eu penso que estou sendo ameaçado por alguma coisa, então está me faltando algo, está me faltando proteção.

Para não ser atacado eu preciso me proteger, ou seja, estou desprotegido.

Se eu pensar nisso apenas hoje, não tem problema nenhum. Mas se eu ficar repetindo diariamente que estou sendo ameaçado, eu fico continuamente com medo, meu inconsciente biológico entende que eu estou desprotegido.

E, se eu estou desprotegido, meu sistema imunológico também está desprotegido.

Nesse caso, o inconsciente biológico vai dar uma solução em termos de proteção e essa solução é um sintoma físico, que vem resolver uma necessidade biológica não atendida.

Mas muitas vezes não há nenhuma necessidade real, é apenas um desejo por proteção.

E insistimos tanto no desejo de sermos protegidos que o nosso inconsciente começa a reconhecer isso como uma necessidade.

O território interno tem o mesmo peso do território externo

Dessa mesma maneira acontece em todos os sintomas físicos, que surgem por uma ameaça real vinda do território externo ou por uma ameaça psicológica, onde eu vejo uma ameaça no território externo que não existe.

Essas ameaças psicológicas são produzidas pelos nossos pensamentos de má qualidade, pensamentos de ataque.

Alguém calculou que nós captamos do campo quântico entre 60 e 70 mil pensamentos por dia e quase todos esses pensamentos são estratégias de defesa, ou seja, nós pensando em como se defender daquilo que nós não queremos.

Observe a capacidade nociva de um pensamento como esse. Quando eu penso em me defender de alguma coisa que eu não quero que aconteça, eu começo a visualizar o que eu não quero que aconteça, e começo a criar uma moldura.

Por exemplo, se Fulano fizer isso, eu faço isso, se fizer aquilo, eu faço aquilo, e por aí vai.

Eu começo a desenhar a exata circunstância pela qual eu não quero passar.

Os pensamentos e nossas estratégias de defesa

A maioria dos nossos pensamentos durante o dia inteiro dizem respeito à essas estratégias de defesa e ataques mentais. E nosso inconsciente biológico está ouvindo tudo isso e vai encaminhar soluções para isso.

Da mesma maneira que os meus pensamentos de má qualidade passam a informação ao meu inconsciente biológico de que eu estou necessitando de algo, eu também estou dando uma informação ao meu sistema imunológico para se deprimir quando eu sinto falta de algo.

E é isso que nós fazemos o tempo todo sem nos responsabilizar.

Não paramos para refletir qual foi o pensamento que iniciou esse mal estar. Ficamos apenas buscando culpados externamente, a causa do nosso mal estar.

Deveríamos ter o mesmo cuidado com nossa segurança interna que temos com nossa segurança externa, mas negligenciamos isso solenemente.

Isso é uma irresponsabilidade, porque nosso território interno é que estimula nosso sistema imunológico, é através dele que nós estamos fortalecendo as nossas defesas.

Precisamos de um sistema imunológico potente, poderoso, para nos defender de qualquer coisa e o que que eu estou fazendo é ficar atacando todo mundo, como se todo mundo tivesse culpa de alguma coisa.

Não podemos mais viver sem nos colocar na posição do outro. Tenha a certeza de uma coisa, quando você se colocar na posição do outro você vai engolir o seu julgamento.

Como posso julgar o outro se não sei o que está acontecendo com ele, se não estou na pele dele para saber?!

Portanto, nós temos que cuidar do nosso território interno como nós cuidamos da nossa pele, do nosso cabelo, do nosso corpo.

Sem Comentários

Postar Comentário