Como atrair abundância para minha vida | Dr. Carlos Veiga Jr.
368
post-template-default,single,single-post,postid-368,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,columns-4,qode-theme-ver-13.9,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive
como atrair prosperidade

Como atrair abundância para minha vida?

Como atrair abundância para minha vida? Esse é um questionamento que a maioria das pessoas se faz. 

Há 2.400 anos, na antiga Grécia, Aristoteles disse para aqueles que o escutavam que estávamos caindo em uma armadilha que iria nos aprisionar definitivamente, e esta armadilha  se chamava dualidade. Em suas palavras: “Acreditar que a substância do universo é a matéria, é cair na dualidade, é ficar preso no medo, na carência e na necessidade”.

Passados mais de 24 séculos, ainda não fomos capazes de escapar da armadilha, como ele previa. Estamos presos no medo e na falta, sentindo carência e necessidade, e não importa quanto dinheiro temos, a armadilha é a mesma para todos, ricos, pobres e remediados, porque a pobreza não está na matéria, está na mente. Uma mente carente é pobre, não importa quanto dinheiro tenha, porque não é capaz de reconhecer a unidade e saber que, por ser tudo, não necessita de nada. É uma mente que acredita na separação e no medo do que não está acontecendo, está prisioneira do seu modo de pensar e apegada às formas, não se aceita como divindade, totalidade.

Nas culturas do oriente, as crenças sobre o mundo material são diferentes, mas para os ocidentais, ser abundante é ter suficientes recursos financeiros para comprar o que for necessário. 

Quando pensamos em abundância, pensamos em dinheiro. 

Não é preciso ser muito esperto ou sábio para recordar ou pesquisar a quantidade de pessoas abastadas, ricas e milionárias que vivem de forma miserável, ou que viram seus filhos morrer sofrendo, sem poder fazer nada, com dinheiro suficiente para deixar tranquilas muitas gerações, justamente porque ainda não chegamos a entender o princípio elementar da abundância.

Há incontáveis exemplos de pessoas encharcadas de drogas lícitas e ilícitas, convivendo com tumores espalhados pelo corpo todo, suicidando-se de forma rápida ou lenta, comprando comprimidos de sorriso nas farmácias, insatisfeitas, a despeito de poder comprar qualquer coisa, até mesmo uma ilha ou um iate, solitárias, mesmo que rodeadas de muitas pessoas.

Temos dito que abundância é: a habilidade em fazer o que é necessário fazer, quando é necessário fazer.

Como podemos ver, abundância se resume em uma frase muito simples, que não contém a palavra “dinheiro”, justamente porque não se trata disso, e é aqui que muitos começam a “patinar”.

Dinheiro é apenas uma das formas de abundância que existem neste mundo, mas não é a única. Existem infinitas formas de ser abundante que nada tem a ver com dinheiro, mas não fomos treinados para perceber ou reconhecer-las.

Estamos perdidos em um labirinto de medo, onde todas as aparentes portas de saída levam sobre elas uma placa escrito [dinheiro]. 

Hipnotizados desde pequenos por falsas crenças irracionais e, orientados por um sistema de mídias que nos faz acreditar que somos seres materiais dependendo de recursos materiais, nos afundamos cada vez mais na descrença da providência divina, e a vida se tornou uma ameaça constante. 

Inventamos um sistema de crenças e pensamentos que nos faz crer que somos mais espertos que a vida, que a razão está conosco e, que estamos órfãos da Fonte De Tudo Que Há, o amor que nos criou. 

Passamos a acreditar que todos os recursos que necessitamos para seguir adiante dependem do suor do nosso rosto, do trabalho árduo, de muito sacrifício e, da estratégia que desenvolveremos para não acabar na sarjeta.

Ouvimos coisas de nossos pais como: 

“estude para ser alguém na vida”

“dinheiro não cai do céu”

“Deus ajuda quem cedo madruga” 

“dinheiro não nasce em árvore”, e muitas outras frases prontas que nossos pais “compraram” de nossos avós, e estes dos seus e, assim por diante. 

Nossos antepassados viveram em um momento onde não havia informação disponível para compreender o mundo quântico no qual vivemos, devemos respeitá-los, mas não imitá-los. Honrar nossos pais é fazer diferente aquilo que não funcionou para eles.

É deste mundo microscópico que tiramos tudo que necessitamos, porque somos feitos de minúsculas partículas subatômicas. Apesar de aparentar ser corpos físicos, estes não são mais do que sondas biológicas de Seres muito elevados que decidiram experimentar-se em um sonho “material”.

Assim foi criado o paradigma da pobreza espiritual e física no qual se vive hoje em dia, quase todos, não importando quanto dinheiro cada um tem no banco. Ter 1 milhão de dólares na conta evidentemente não significa ser abundante, significa ter 1 milhão de dólares na conta, ponto. 

É como se estivéssemos a todo instante na beira de um precipício e, se não arrumarmos algum dinheiro para comer, vamos sucumbir diante dos amigos e parentes, em uma vergonha inaceitável, uma desonra, um fracasso. Imaginem quantos dos nossos antepassados viveram este drama, e quanto sofrimento nosso clã familiar experimentou por falta de recursos. Toda esta informação de falta e medo está codificada em cada célula que compõe nosso corpo. O medo da falta é transgeracional, herdado epigeneticamente, e apesar de nunca haver nos faltado nada, seguimos pensando que amanhã pode faltar.

Condicionados inconscientemente, fechamos as portas à todas as infinitas possibilidades quânticas que o universo tem a nos oferecer, decretando qual deve ser a única forma dele entregar sua abundância a nós, dinheiro.

Mas como? 

É a pergunta que surge na mente inquieta.

Segundo Ken Wilber, aqueles que perguntam como?, acreditam que a solução aos seus problemas está fora, e fora não há nada. Toda realidade física é um reflexo da consciência, projeções. 

Estamos tentando soluções externas há milênios, nunca funcionou e, com um mínimo de honestidade, é fácil comprovar no que transformamos este mundo usando este sistema de crenças. 

“Se você anda preocupado por problemas financeiros, amorosos ou de relações familiares, busque em seu interior a resposta para acalmar-se.

Você é o reflexo daquilo que pensa diariamente” 

Aristoteles 380 ac. 

A mente segue tagarelando: mas como vou conseguir o que preciso? isto tudo é muito bonito, são palavras bonitas mas não pagam minhas contas, os boletos vão chegar, e a providência divina não vai pagá-los por mim. 

Lamento informar que você tem toda razão, Deus não virá pagá-las, nem muito menos mandará anjos em seu auxílio.

A Fonte Criadora já fez tudo que era necessário para não ter que te ajudar neste momento. Dotou todos os seres humanos de um princípio fundamental de atração e, principalmente de repulsão. Nos criou como seres vibracionais, emitindo e recebendo informação de forma quântica, em um universo quântico, onde tudo acontece por ressonância e sincronicidades. O campo quântico não pode esperar para organizar as experiências de cada um, porque não seria possível montar a realidade desta forma, então este campo de infinitas possibilidades se organiza antecipadamente, reconhecendo como anda o estado vibracional de cada um, atraindo e afastando, na exata medida da ressonância vibracional que reconhece em cada indivíduo. 

É a perfeita sincronia entre o nosso estado emocional e o campo quântico que determina o que vamos experimentar. O detalhe é que este campo quântico não tem capacidade de julgar, apenas entrega aquilo em que prestamos atenção, e nossa atenção está concentrada na possibilidade da falta, no medo da carência, na vergonha da necessidade não atendida. Que poderíamos esperar do campo: abundância ou falta?

É bom lembrar que tudo que nos acontece somos nós mesmos que pedimos, e a mente segue duvidando: mas como é possível que eu tenha pedido esta desgraça?

É possível porque a imensa maioria das coisas que vem na nossa direção são solicitadas inconscientemente, razão pela qual são incompreensíveis à mente consciente. O inconsciente tem suas razões para solicitar o que é necessário para nosso despertar de consciência. 

De fato as experiências que consideramos boas, não são as melhores para nossa evolução, para falar a verdade, nos distraem e nada mais. Caminhos fáceis não levam longe. As experiências que consideramos ruins, são as boas chances que a vida nos dá de evoluir, reconhecendo qual informação de falta e carência está se manifestando na realidade física, para ser compreendida e transcendida. 

Como se pode ver, nada mais justo do que entregar circunstâncias de falta, carência e necessidade àqueles que vibram desta forma. 

O campo quântico é amor e abundância plena, não julga e não castiga, não exige sacrifícios nem distribui cruzes.

Que boa notícia! Deus não está me castigando!

Não, obviamente Deus não castiga seus Filhos Sagrados. 

A Mente Criadora é amor, e no amor não cabe julgamentos ou castigos, só mesmo a parte da mente que se sentiu separada, poderia imaginar uma distorção como esta.  Nós mesmos estamos “clamando pelos castigos” por não reconhecer todas as formas de abundância que nos cercam. Nossa atenção está focada na necessidade e não na gratidão. Então, nada mais justo que experimentar aquilo em que escolhemos prestar atenção. O infinito amor da Fonte nos permite experimentar nossas escolhas, sem questioná-las. Seria incoerente que a Suprema Inteligência Universal impedisse um Filho seu, dotado dos mesmos poderes criadores, de viver aquilo que ele mesmo decidiu. A Divindade não julga, apenas permite! 

Eu julgo, e portanto experimento os frutos do meu julgamento. O campo quântico sempre nos dará razão.

Por isso as escrituras falam em “imagem e semelhança”, conceitos que foram corrompidos ao longo dos séculos. Nos fizeram crer em um Deus homem, um velho de barbas brancas, com cara de mau, sentado em uma nuvem, julgando as atitudes criadoras de seus Filhos, com um chicote na mão, esperando qualquer tropeço ou equívoco para mandá-los para as profundezas do inferno com penas eternas. Um Deus antropomorfizado e masculino, o chamamos de “pai”, nos reportamos a “ele”, pedimos e oramos a “ele” e isso é um machismo venenoso, praticado por homens e mulheres de forma automática e inconsciente. O princípio universal é feminino, é criação, o cálice sagrado é o útero, e homens não tem útero. Se Deus tivesse gênero, certamente seria feminino, mas a Mente Divina é unidade, é Yin, e Yang, não sabe nada de machismos manipuladores.

 ”Imagem”, quer dizer que tanto a Mente Divina quanto nós, de fato, não somos forma-corpo, somos mente-consciência, ilimitada, eterna e imutável. “Semelhança”, refere-se ao poder criador que foi dado a nós. Nossa mente tem um poder criador semelhante ao da Mente que nos criou.

Sou eu mesmo que não me sinto grato pelo que tenho, e por não vibrar em estado de gratidão, recebo de acordo com a informação de falta e carência que envio ao campo quântico.

Somos todos muito abençoados pela inteligência divina, entretanto não somos adeptos ao reconhecimento, vivemos de reclamar o dia todo, de tudo e de todos. Reclamar é clamar novamente, pedir novamente, implorar novamente, e quem pede sente falta, só quem agradece sente abundância. 

Quando aceitamos, sem questionar, a fórmula da abundância, e fazemos sem medo o que necessita ser feito, quando necessita ser feito, a gratidão nos eleva em consciência, e muda imediatamente nosso estado vibratório. Automaticamente e sem esforço passamos a ressonar com as coisas que desejamos e nos aproximamos delas, “facilitamos a entrega”. Não se trata de materializar o que queremos, e sim de colocar-se em ressonância com o que desejamos. 

Você não pode perceber aquilo que não esteja no mesmo estado vibracional que você. 

Um estado físico de abundância requer uma forma de perceber abundante, onde não cabe outra sensação que não seja agradecimento!

_________________________________________________________________________________

Gostou do artigo? Se você quiser entender melhor como seus conflitos emocionais podem estar afetando sua saúde física, eu vou fazer uma palestra presencial no dia 22/11/2018 no Rio de Janeiro.

Você entenderá como funciona o método do Gerenciamento BioEmocional e poderá tirar todas as suas dúvidas diretamente comigo!

Clique AQUI para saber os detalhes. Será um prazer ter você lá.

_________________________________________________________________________________

5 Comentários
  • Consuelo Ventura
    Postado às 11:26h, 17 janeiro Responder

    Maravilha… é isso aí !
    Gratidão !

  • Luciana
    Postado às 13:48h, 27 novembro Responder

    Amei! Isso aí! Vibração! Atraímos o que emanamos!

    • Carlos Veiga Jr.
      Postado às 20:38h, 03 dezembro Responder

      Exatamente Luciana. Muito obrigado pelo seu comentário.

  • Rodrigo Victor Marques
    Postado às 09:07h, 08 dezembro Responder

    Sim. Verdade. Se nossas crenças (Mindset) estão alinhados com as Leis Naturais do Amor e Harmonia fluimos numa natural Rota de Prosperidade e Abundância. Se não estão entramos numa picada pelo mato cheia de barreiras e acidentes naturais.

    • Carlos Veiga Jr.
      Postado às 12:05h, 30 dezembro Responder

      Exatamente Rodrigo. Muito obrigado pelo seu comentário. Grande Abraço!

Postar Comentário