Câncer: o seu emocional influencia sua biologia - Carlos Veiga JR.
342
post-template-default,single,single-post,postid-342,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,columns-4,qode-theme-ver-13.9,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Câncer: o seu emocional influencia sua biologia

Câncer: o seu emocional influencia sua biologia

Como as emoções influenciam o tratamento do câncer? Segundo Carl Jung, as doenças são um esforço que a natureza faz para salvar o homem.

Para o Dr. Ryke Hamer, da Nova Medicina Germânica, o câncer, como qualquer outra enfermidade, é o resultado de um Programa Biológico especial e significativo da Natureza que tem sido praticado com sucesso durante milhões de anos de evolução.

A ciência atual nos fala sobre a metilação do DNA como fator decisivo do comportamento dos genes. Os radicais metila desativam os genes como interruptores, impedindo nosso sistema imunológico de atuar corretamente.

Os russos mostraram evidências de que quanto mais AMOR, CARINHO e FELICIDADE, menos radicais metila são produzidos.

Estamos sempre com o emocional controlando a biologia. Ratas de laboratório que não lambiam suas crias geravam descendentes com DNA muito metilado, quando estes eram colocados com outras ratas que lambiam suas crias, o DNA se desmetilava.

A universidade de MacHill no Canadá nos demonstra como a Epigenética Condutual avança sobre o determinismo genético convencional.

Então porque lutamos contra o câncer se ele pode nos salvar?

A célula cancerígena tem o mesmo comportamento da pessoa com câncer: amadurecimento incompleto ou ausente e rigidez às mudanças.

São pessoas que entregam toda sua vida a viver para os demais, não vivendo suas próprias vidas e esperando que os demais mudem. Esperam por reconhecimento de seus sacrifícios feitos em nome, principalmente, da família.

A célula cancerígena por sua vez não faz apoptose. Apoptose é o relógio biológico da célula que diz o momento em que ela deve “morrer” para que outra nova possa ocupar o seu lugar e manter o corpo renovado.

A pessoa com câncer não sabe a hora de parar, não se impõe limites e aquilo que faz, esperando reconhecimento, mais tarde se transforma em um profundo ressentimento, raiva, rancor e amargura.

Por não fazer apoptose, as células cancerígenas não param de crescer, não tem limites. São células imaturas que não reconhecem seu entorno, não interagem com o meio.

Assim como as pessoas com câncer que não são maleáveis e permanecem rígidas em suas verdades imutáveis, o entorno não lhes interessa, dedicam sua vida a uma tentativa inútil de controlar as pessoas para que tudo seja como gostariam que fosse.

Todos sabem das curas espontâneas do câncer e a medicina convencional não tem nenhuma explicação para isso. Todos já ouviram falar de efeito placebo e a medicina convencional também não tem nenhuma explicação para isso.

Será que já não está na hora de flexibilizarmos nossa rigidez e abrir a mente para enxergar sob uma outra ótica?

A BioNeuroEmoção (BNE) como método complementar de qualquer tratamento convida a pessoa a reavaliar seu sistema de crenças, valores e definições, permitindo-se mudar de vida.

BNE não é terapia alternativa. É um método de consulta que investiga a origem emocional daquilo que chamamos enfermidade ou conflitos pessoais.

Não é de se espantar que muitas pessoas digam que o câncer foi a melhor coisa que lhes aconteceu na vida. Graças à doença foram capazes de mudar de vida e hoje vivem integradas ao meio sem o desejo de transformá-lo.

OBS: O Gerenciamento BioEmocional é um método que investiga as origens emocionais dos conflitos que experimentamos durante a vida, sejam eles manifestados através de sintomas físicos ou não. Não encorajamos nenhuma pessoa a desistir de orientações ou tratamentos médicos

3 Comentários
  • Fabio
    Postado às 20:56h, 29 abril Responder

    Ola, segundo a med. germanica o cancer para sim de crescer. Cada tipo de cancer tem um tempo determinado de crecimento, amadurecimento e solucao.
    Qdo ele esta crescendo nao apresenta sintomas, e se por algum motivo for descoberto nessa fase poderá ser diagnosticado erroneamente como malígno (justamente por estar crecendo). Se ja estiver estavel, ou seja quando o conflito ja foi superado e por algum motivo o organismo nao o eliminou, entao costuma ser diagnosticado (menos erroneamente rs) como benígno.
    Abçs, Fabio

    • Carlos Veiga Jr.
      Postado às 10:34h, 05 maio Responder

      Olá Fábio, Obrigado pelo comentário. Sabemos sim que os tumores param de crescer, porém, o fazem quando há uma solução para o estresse que a pessoa vive, muitas vezes sem se dar conta, caso contrário os tumores seguem crescendo, e é a isto que nos referimos.. Este texto tem a finalidade de dar uma outra visão, ou perspectiva sobre esta enfermidade, um incentivo às pessoas que estão vivendo este drama hoje para que resolvam o conflito no único lugar onde ele existe, a mente, o corpo simplesmente seguirá a cura mental. A NMG é parte da metodologia que usamos para investigar a origem emocional dos conflitos, entretanto não temos a intenção de ensinar NMG em um texto informativo como este, nossa proposta aqui é apenas funcionar como uma placa de sinalização para que as pessoas saibam que o câncer é uma oportunidade de mudança radical na forma de ver e entender a vida.

      • Fabio
        Postado às 10:03h, 21 julho Responder

        Parabéns por esse trabalho! Não é fácil concorrer com o medo e a desinformação pragados pela grande midia. abraços.

Postar Comentário