Sua vida é um espelho dos seus pensamentos - Carlos Veiga JR.
339
post-template-default,single,single-post,postid-339,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,columns-4,qode-theme-ver-13.9,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Sua vida é um espelho dos seus pensamentos

Quem nunca julgou uma pessoa antes de conhecê-la?
A este senhor com aparência tão extravagante que acabam de nos apresentar, a essa mulher que passa pela rua com o cabelo pintado de uma cor gritante, a este velho sentado no ponto do ônibus com o braço todo tatuado, ou a este menino correndo pelo parque e que parece tão mal educado.

Tendemos a imaginar a vida destas pessoas que encontramos pelo caminho e fazer alucinações incríveis que não tem nada a ver com o que realmente são, pensando que estes tem muito pouco ou nada que nos oferecer para nosso crescimento pessoal.

Seguramente dentro de pouco tempo nossa cabeça ou o estômago começará a doer, ou nos sentiremos cansados sem saber por quê. Outras vezes nos aparece uma voz na cabeça, o ego espiritual que nos faz ver a estas pessoas por cima dos ombros em um gesto típico de auto afirmação atribuindo a nós mesmos poderes especiais que os demais não tem, fabricando assim uma escala de níveis ilusória para estabelecer desigualdades. Nos encontramos assim, falando dos demais com amigos, sentindo-nos separados e diferentes de todo mundo, criticando, encontrando a certeza e a convicção de que as coisas são como pensamos que são, pois o campo quântico se encarrega de que a crença sobre algo se converta em verdade absoluta para cada observador, de forma que em seguida possamos dizer: Viu como eu tinha razão?

Se julgamos pelas aparências começamos a atribuir uma série de facetas às pessoas que temos ao nosso redor. Utilizando uma barreira como mecanismo de proteção do ego que chamamos de projeção.

Quando uma atitude de alguém nos alimenta uma emoção ou nos deixa de mau humor, há que voltar o olhar para dentro.

Essa forma de ser da nossa sogra, ou este companheiro que nos deixa tão nervoso tem a ver com nós mesmos. Pode ser que não atue da mesma forma como nós quando observamos, porém em voz baixa a intensão que acreditamos que eles tem é o espelho perfeito de uma faceta da nossa personalidade, que rejeitamos inconscientemente.

Descobrir estas sombras inconscientes nos leva a um estado de consciência que nos oferece a visão da verdade na qual por exemplo alguém se dá conta de que o parceiro com quem vive serve para resolver carências emocionais de sua infância, assim que se dá conta de que o enamoramento é a união perfeita de dois inconscientes em forma de quebra-cabeças onde cada um atua com o papel que lhe corresponde, e que a situação que está vivendo está estreitamente relacionada com o sistema de pensamento herdado de seus antepassados. Que as emoções que existem na profundidade do Ser e o que ele acredita que é, se vê refletida em seu mundo particular. E sobretudo a verdade de que a própria pessoa é a responsável da dor que experimenta, e a única coisa que tem que fazer é liberar-se destas emoções para deixar de viver no passado tornando-se coerente consigo mesma. Cada pessoa tem sua história e seu próprio caminho para despertar, todavia, todos temos a capacidade e o poder de fazê-lo.

 

Sem Comentários

Postar Comentário